9 vícios de linguagem mais comuns e como evitá-los

9 vícios de linguagem mais comuns e como evitá-los

A linguagem é uma ferramenta poderosa que utilizamos diariamente para nos comunicarmos e transmitirmos nossos pensamentos, ideias e sentimentos. No entanto, como em qualquer ferramenta, é possível utilizá-la de maneira inadequada. Os vícios de linguagem são exemplos disso. São erros ou desvios cometidos na utilização da língua, muitas vezes de forma involuntária, que afetam negativamente a clareza, a coesão e a eficácia da comunicação. 

Se quer melhorar a sua capacidade de escrita e comunicação, este post é para você! Aqui, veremos detalhadamente o que são os vícios de linguagem, seus impactos na Língua Portuguesa e por que é fundamental conhecê-los. Além disso, apresentaremos uma lista abrangente dos principais vícios de linguagem, destacando como evitá-los e aprimorar nossa capacidade de expressão. Confira!

Qual a importância de conhecer os vícios de linguagem?

Entender o que são os vícios de linguagem é o primeiro passo para aprimorar nossas habilidades de comunicação. Esses desvios linguísticos podem prejudicar a compreensão do discurso, causar mal-entendidos e até mesmo comprometer nossa credibilidade. 

Ao conhecer os vícios de linguagem, podemos não apenas evitar cometer esses erros, mas também aprimorar nossa capacidade de expressar nossas ideias de forma mais clara, eficaz e persuasiva. Além disso, em ambientes profissionais e acadêmicos, a utilização correta da língua é essencial para transmitir profissionalismo e competência e, inclusive, em alguns casos específicos, como veremos à frente, evitar constrangimentos.

Por exemplo, se você está estudando para o ENEM ou para uma prova de vestibular, provavelmente terá que lidar com a redação. Nesse contexto, ao reconhecer quais vícios de linguagem evitar, você poderá alcançar notas cada vez maiores.

Quais são os principais vícios de linguagem e como evitá-los?

Agora que você já sabe a importância de reconhecer quais são os vícios de linguagem, veja abaixo quais são os principais e como evitá-los!

1. Redundância

A redundância ocorre quando repetimos informações desnecessárias em uma frase. Isso pode tornar o discurso enfadonho e menos eficaz. Em uma apresentação de trabalho, esse vício pode causar um desinteresse dos ouvintes. Evite redundâncias revisando suas frases para eliminar palavras ou ideias repetitivas. Se for uma comunicação, revise os pontos principais para evitar permanecer tempo demais em apenas uma ideia.

2. Barbarismo

O barbarismo acontece quando usamos palavras incorretamente, seja pronunciando-as de maneira errada ou escrevendo-as inadequadamente. Consulte um dicionário ou faça pesquisas para garantir que esteja utilizando palavras corretamente. 

3. Estrangeirismo

Os estrangeirismos são palavras ou expressões em idiomas estrangeiros que incorporamos ao português. Embora em alguns casos sejam necessários, o excesso de estrangeirismos pode dificultar a compreensão e causar um estranhamento negativo para aquele que lê o seu texto ou para aquele que te escuta. Dessa forma, utilize-os com moderação e sempre que possível, busque equivalentes em português.

4. Ambiguidade

A ambiguidade é um fenômeno linguístico que ocorre quando uma frase, expressão ou palavra pode ser interpretada de diferentes maneiras, levando a múltiplos significados possíveis. Isso pode causar confusão e mal-entendidos na comunicação, já que o leitor ou ouvinte pode não ter certeza do significado pretendido pelo autor, ou falante. 

Evitar a ambiguidade em um texto é fundamental para garantir que a mensagem seja compreendida de forma clara e inequívoca, principalmente se estiver diante da redação do ENEM. Muitas vezes, para evitar a ambiguidade, além de uma boa leitura, é indicado conhecer bem o uso da vírgula e usar uma pontuação adequada.

5. Cacofonia

A cacofonia é um fenômeno linguístico que ocorre quando há uma combinação de sons que soam desagradáveis aos ouvidos, muitas vezes devido à repetição de sílabas ou letras, criando uma dissonância auditiva. A cacofonia prejudica a fluidez da leitura e pode tornar o texto menos agradável de ler. É importante evitá-la para a comunicação ser clara e agradável ao leitor.

6. Pleonasmo

O pleonasmo é uma figura de linguagem que ocorre quando há uma redundância de palavras ou informações em uma frase, ou seja, ao utilizar um termo ou expressão que repete ideias que já foram ditas de forma implícita ou explícita.

Geralmente, o pleonasmo não é considerado uma construção linguística correta em muitos contextos, pois acrescenta informações desnecessárias e pode tornar o discurso prolixo e pouco eficaz. Evite o pleonasmo revisando seu texto para eliminar redundâncias.

7. Anacronismo

O anacronismo é um erro de cronologia, no qual um elemento ou evento é colocado em um período em que ele não pertence ou não é historicamente preciso. Isso pode acontecer em textos, filmes, obras de arte ou qualquer forma de expressão que envolva a representação de épocas ou contextos diferentes. O anacronismo pode prejudicar a credibilidade da narrativa e a compreensão do leitor ou espectador.

Para evitá-lo é importante fazer uma pesquisa cuidadosa sobre o assunto a ser falado, manter uma consistência temporal, ou seja, certifique-se de que todos os elementos do seu texto estejam alinhados com a época em que a história se passa. Isso inclui roupas, objetos, terminologia e comportamento dos personagens.

Além disso, cuidado com o uso de palavras ou expressões que não existiam na época retratada. Evite gírias modernas, termos técnicos que não existiam e referências a eventos futuros. E, por fim, verifique a precisão de datas e eventos e seja sensível às mudanças culturais, afinal as normas culturais e os valores podem variar ao longo do tempo.

8. Neologismo

Os neologismos são palavras ou expressões criadas para preencher uma necessidade de comunicação, mas que ainda não foram amplamente aceitos. Na literatura brasileira, um grande exemplo de autor que utilizava o neologismo foi Guimarães Rosa. Porém, quando não estamos lidando com textos literários e sim textos de processos seletivos, é importante evitar o uso excessivo de neologismos e certificar-se de que seu público compreenda o que você está comunicando.

9. Arcaísmo

Muitas pessoas buscam palavras muito antigas para deixar o texto com um aspecto mais confiável e formal. Porém, quando não sabemos o seu significado específico, podemos causar o efeito contrário. Muitas vezes, essa situação é classificada como arcaísmo. 

Um arcaísmo é o uso de palavras ou expressões que eram comuns em tempos passados, mas que caíram em desuso na linguagem contemporânea. O uso excessivo de arcaísmos pode dificultar a compreensão e tornar o texto ou discurso desatualizado.

Os vícios de linguagem são armadilhas comuns que podem minar a eficácia da comunicação. No entanto, ao compreendê-los e saber como evitá-los, podemos aprimorar nossa capacidade de expressão, tornando-nos comunicadores mais eficazes e confiáveis. 

Lembre-se de que a língua é uma ferramenta poderosa que merece ser utilizada com cuidado e atenção aos detalhes. Ao evitar vícios de linguagem, não apenas melhoramos nossa comunicação, mas também contribuímos para a preservação da riqueza e da clareza da Língua Portuguesa.

Gostou do conteúdo? Então, compartilhe este texto para ajudar seus amigos a conhecer e evitar os vícios de linguagem!

O que você achou disso?

Clique nas estrelas

Média da classificação 4.5 / 5. Número de votos: 13

Nenhum voto até agora! Seja o primeiro a avaliar este post.

Lamentamos que este post não tenha sido útil para você!

Vamos melhorar este post!

Diga-nos, como podemos melhorar este post?

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.

0Shares
0 0