Quais os tipos de graduação disponíveis e suas diferenças?

tipos de graduação

Um curso superior abre muitas portas no mercado de trabalho. A graduação dá acesso às melhores vagas, a remunerações maiores e a benefícios diferenciados. Além disso, ela permite que você construa uma carreira, o que é diferente de apenas ter um emprego. Mas você sabia que existem diferentes tipos de graduação?

É isso mesmo! Ao pesquisar sobre as opções de faculdade, você vai se deparar com os seguintes termos: bacharelado, tecnólogo e licenciatura. Cada um deles é um tipo de curso, com objetivo e estrutura diferentes. Então, conhecê-los é fundamental para escolher a opção que mais se encaixa nos seus objetivos. 

É justamente por isso que preparamos este texto. Continue a leitura e tire suas dúvidas!

Como funciona um curso de graduação?

O curso de graduação é aquele que vem depois do Ensino Médio. É por meio dele que você conquista um diploma de ensino superior e inicia uma carreira. Eles são específicos para cada profissão, por exemplo, Direito, Educação Física e Engenharia Eletrônica.

Os cursos de graduação duram de 2 a 6 anos e são compostos por:

  • disciplinas obrigatórias — aquelas em que a aprovação é indispensável para a formação na área;
  • disciplinas eletivas — são matérias que podem ser escolhidas pelo estudante, de acordo com seus maiores interesses no curso;
  • atividades complementares — são ações oferecidas pela universidade e que ajudam no seu desenvolvimento profissional, tais como palestras e outros eventos, iniciação científica (IC), monitorias e cursos de extensão;
  • trabalho de conclusão de curso (TCC) — feito nos últimos dois ou três semestres do curso, trata-se de um grande projeto de pesquisa científica (e, em alguns casos, de trabalho de campo) envolvendo algum assunto específico de interesse do aluno e no qual são mobilizados diversos conhecimentos da formação;
  • estágio curricular — em muitos cursos, o aluno precisa realizar um estágio supervisionado por professores e previsto na grade curricular obrigatória.

Se você sabe para que serve o estágio, ou seja, para que o aluno coloque em prática aquilo que aprende durante o curso, entende que essa é uma experiência muito importante, não é? Por isso, vale a pena destacar que, mesmo quando o estágio não é obrigatório no curso, ele é super bem-vindo na sua formação.

Quais são os tipos de graduação?

Agora que lembramos o que é um curso de graduação, vamos falar sobre os tipos de formação? Todos eles garantem um diploma de ensino superior, mas têm duração, foco e estrutura diferentes. Veja só!

Bacharelado

É o tipo de formação mais generalista, sendo feita para atuação ampla no mercado. A grade curricular é composta por disciplinas abrangentes, passando por todas as subáreas daquela formação. Desse modo, o aluno conhece de tudo um pouco e tem uma base teórica bastante aprofundada:

  • duração — 4 a 6 anos;
  • exemplos — Administração, Agronomia, Direito, Economia, Engenharias, Medicina, Psicologia, Publicidade e Serviço Social;
  • foco — atuação ampla no mercado de trabalho.

Tecnólogo

Com duração mais curta, o tecnólogo é bastante direcionado a demandas específicas do mercado. Então, a grade curricular também é mais enxuta, com uma base teórica menos generalista e mais prática:

  • duração — 2 a 3 anos;
  • exemplos — Estética e Cosmética, Gestão Ambiental, Gestão da Tecnologia da Informação, Logística e Marketing;
  • foco — demandas específicas do mercado.

Licenciatura

As licenciaturas são dedicadas à formação de professores. Por isso, além de conhecimentos teóricos e técnicos específicos de determinada área, como a Química, o aluno também tem uma boa carga de disciplinas para a docência, como Didática, Fundamentos da Educação e Organização da Educação Básica Brasileira. 

  • duração — 4 a 5 anos;
  • exemplos — Biologia, História, Letras, Matemática e Pedagogia,
  • foco — formação de professores.

Vale a pena ter atenção ao seguinte ponto: normalmente, essas áreas de conhecimento científico tem graduação tanto do tipo bacharelado quanto de licenciatura. A diferença é que o profissional só pode dar aulas na Educação Básica com o título de licenciado.

Por exemplo, você pode fazer um bacharelado em Biologia ou uma licenciatura em Biologia. No primeiro caso, será uma bióloga ou um biólogo. No segundo, será professora ou professor de Biologia (embora um licenciado também possa atuar em empresas que não são educacionais).

Quais são as vantagens de um curso de graduação?

Se você está em dúvida entre fazer um curso técnico ou graduação, saiba que a segunda opção traz muitas vantagens para o profissional. Claro que um curso técnico é muito bem-vindo e contribui bastante para o seu desenvolvimento, porém, ele não é considerado de nível superior.

As graduações proporcionam:

  • diploma de nível superior — o que permite a realização de uma pós-graduação mais tarde;
  • conhecimentos específicos — com a formação superior, você adquire conhecimentos aprofundados sobre determinada área, o que eleva fortemente seu desempenho profissional;
  • vagas melhores — muitas vezes, as vagas têm como pré-requisito o diploma de nível superior, então, a graduação dá acesso a melhores oportunidades;
  • salários mais altos — a graduação torna o profissional especialista na área, o que proporciona remunerações maiores;
  • desenvolvimento pessoal — a trajetória acadêmica dentro de uma universidade favorece o contato com pessoas diferentes, a ampliação da visão de mundo, a inspiração diante dos professores, o aprimoramento de habilidades, entre muitas outras questões que refletem até mesmo em sua vida pessoal.

Como escolher a instituição de ensino?

Além de conhecer os diferentes tipos de graduação e pensar sobre o curso que mais tem a ver com o seu perfil, é importante ter atenção na escolha da instituição de ensino. Afinal, estudar em uma universidade que tenha qualidade pedagógica, infraestrutura e iniciativas de desenvolvimento profissional para seus alunos faz toda a diferença durante a formação. 

Então, veja alguns pontos relevantes para essa escolha:

  • autorização do MEC — o Ministério da Educação (MEC) fiscaliza todas as instituições credenciadas a ele. Portanto, certifique-se de que a universidade é reconhecida pelo órgão para ter garantia de credibilidade;
  • infraestrutura física e virtual — tanto em unidades de apoio presencial como nos ambientes virtuais (utilizados na modalidade de educação a distância, a famosa EAD), é importante que a universidade ofereça toda a estrutura necessária para o bom rendimento dos alunos;
  • professores qualificados — ter aulas com ótimos docentes é fundamental para que os conteúdos do curso sejam devidamente transmitidos aos alunos, por isso, priorize universidades com professores titulados (mestres e/ou doutores);
  • facilidades para ingresso e permanência — veja se a instituição conta com variadas formas de ingresso e possibilidades de bolsas e descontos;
  • iniciativas complementares atividades de extensão, grupos de estudos, programas de intercâmbio, projetos de pesquisa e ações de inovação e empreendedorismo são enormes diferenciais em uma universidade.

Conseguiu entender as diferenças entre os tipos de graduação? Cada um deles tem duração, foco e estruturas diferentes. Por isso, vale a pena pensar bem antes de escolher a formação ideal para você. Porém, todos têm em comum as grandes vantagens que trazem para a sua vida profissional. 

Gostou do post? Então, acompanhe nosso LinkedIn e YouTube para ficar por dentro de outros conteúdos sobre ensino superior e carreira!

O que você achou disso?

Clique nas estrelas

Média da classificação 3.8 / 5. Número de votos: 4

Nenhum voto até agora! Seja o primeiro a avaliar este post.

Lamentamos que este post não tenha sido útil para você!

Vamos melhorar este post!

Diga-nos, como podemos melhorar este post?

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.

0Shares
0 0