Reserva de emergência: o que é e como criar uma?

reserva de emergência

Imprevistos financeiros podem surgir a todo momento, com qualquer pessoa. Afinal, nem sempre é possível evitar algum gasto extra. Nesses casos, a melhor coisa a se fazer é recorrer à reserva de emergência.

Falando nisso, você tem uma quantia de dinheiro guardada para arcar com despesas não planejadas? Saiba que esse passo é muito importante para ter mais segurança nas finanças. Inclusive, um fundo de emergência pode ser útil até mesmo para os seus estudos.

Quer saber mais sobre o assunto? Então, acompanhe este post e tire as suas principais dúvidas sobre a reserva de emergência!

O que é reserva de emergência?

Esse é o nome dado a todo dinheiro que você poupa com uma finalidade: arcar com novos gastos, quando a sua renda não for suficiente. Na maioria das vezes, é utilizado para lidar com imprevistos.

Vale destacar também que a reserva de emergência não é um dinheiro que você pretende movimentar com frequência. A intenção é só retirar do caixa quando realmente não houver outra opção. Por isso mesmo recebe esse nome. Afinal, serve para atender às necessidades mais urgentes, do ponto de vista financeiro.

Qual é a importância de ter uma reserva de emergência?

Não ter um fundo de emergência é uma das principais ciladas financeiras em que as pessoas caem. Isso porque, sempre que acontece algo não planejado, é preciso recorrer a outros recursos para arcar com os novos gastos.

É nesse contexto que muitos indivíduos precisam solicitar um empréstimo, que costuma cobrar juros bem altos, de modo que é necessário devolver uma quantia bem maior do que o que foi pego. É claro que em casos de emergência, quando não há outra opção, esse recurso é muito útil.

No entanto, quando existe uma alternativa, como é o caso da reserva, não é necessário desembolsar um valor maior. Assim, você evita prejuízos e, principalmente, o acúmulo de dívidas.

Em outras palavras, ter uma reserva de emergência é importante para ter mais segurança financeira. Com ela, uma pessoa tem muito mais suporte para colocar os planos em prática.

Como uma reserva de emergência ajuda a retomar os estudos?

Muitas vezes, esses planos que você fez têm a ver com os estudos. É por isso que a reserva financeira também pode ser útil para dar apoio à educação de um indivíduo, que, por sua vez, é fundamental para um futuro profissional promissor.

Com um fundo de emergência bem construído, é possível ter mais segurança financeira para voltar a estudar, tendo em vista que o dinheiro guardado pode ser útil para:

  • mensalidade do curso — nos momentos em que a renda não é suficiente;
  • transição de carreira — apoia o período em que o retorno financeiro na nova jornada profissional ainda não é tão positivo;
  • conciliar trabalho e estudo — caso não seja possível trabalhar sem prejudicar o ritmo do aprendizado e o desempenho no curso.

Como criar uma reserva de emergência?

Agora que você sabe mais sobre a importância de contar com a segurança de um fundo financeiro, chegou o momento de entender o que fazer para montar o seu. A seguir, confira ótimas dicas para criar uma reserva de emergência!

Comece quanto antes

A etapa mais importante é dar o primeiro passo. A partir do momento que você toma a iniciativa de poupar para uma reserva financeira, basta ter disciplina para continuar com o planejamento.

Faça um planejamento

Falando nisso, ter um planejamento financeiro faz toda a diferença. Isso porque é muito mais difícil guardar dinheiro quando você não tem foco com o que pretende fazer com esse valor.

Ao definir a finalidade dessa poupança, como a criação de uma reserva, é possível ter mais motivação para guardar dinheiro mensalmente, até formar todo o seu fundo. Nesse processo, ter um planejamento guiando todas as suas ações é muito importante. 

Desse modo, calcule tudo o que você ganha por mês. Em seguida, separe o quanto você vai destinar para cada área da vida, como:

  • moradia;
  • transporte;
  • alimentação;
  • contas fixas;
  • educação;
  • lazer;
  • saúde.

Controle suas finanças

Definiu a quantia que você pretende guardar por mês e quanto tempo vai levar para criar a reserva de emergência? Isso significa que boa parte do seu planejamento está pronto. Agora, é hora de aprender a segui-lo o máximo possível.

Para isso, é importante ter um maior controle das finanças. Isso significa evitar gastos que podem comprometer os planos. Na prática, é importante saber como economizar na faculdade, nos passeios e em qualquer outra atividade cotidiana.

Tenha em mente que isso não quer dizer que você não possa comprar algo que deseja há muito tempo, nem que não pode ter nenhum gasto supérfluo. O importante é criar um planejamento realista, de acordo com o seu estilo de vida, de modo que não seja necessário deixar de realizar nenhuma despesa que faça bem a você. A ideia é reduzir apenas o que não é fundamental.

Determine metas

Sabe algo que vai estimular você a ter disciplina financeira para montar uma reserva de emergência? Estipular metas. Esse é um incentivo a mais para seguir com o planejamento, tendo em vista que você cria um desafio pessoal.

Comece aos poucos

Outro hábito que vai ajudar a ter mais disciplina com as finanças é dar um passo por vez. Se você tem o costume de gastar tudo o que ganha, dificilmente vai conseguir poupar boa parte do dinheiro que sobra no mês.

No entanto, você pode começar com parcelas pequenas e aumentar conforme vai se acostumando com a ideia de poupar. Lembre-se de que vale mais a pena depositar um valor pequeno na reserva que não juntar dinheiro algum.

Invista o valor da reserva

Sabia que você não precisa deixar o dinheiro parado? O valor que fica guardado para a reserva pode render cada vez mais, a partir do momento que você encontrar um investimento adequado.

Se você não entende muito dessa área, comece com investimentos de baixo risco. Além disso, é importante que seja um tipo de investimento que permita o resgate imediato, para que seja possível utilizar o dinheiro da reserva a qualquer momento que precisar.

Como definir o valor ideal?

Aqui vai mais uma dúvida que muitas pessoas compartilham em relação à reserva de emergência: o quanto guardar? A resposta é: depende. Tudo vai variar de acordo com os seus planos e o seu estilo de vida.

Uma estratégia eficiente é calcular as suas despesas mensais. Para isso, some tudo o que gastou em um intervalo de um mês. Faça isso com os valores dos últimos 6 meses e tire a média. O resultado vai mostrar, aproximadamente, quanto custa o seu estilo de vida.

O ideal é que a reserva financeira seja capaz de suprir até 6 meses de uma rotina confortável para você. Sendo assim, é importante guardar, no mínimo, 6 vezes seu custo mensal.

No entanto, para quem tem planos que podem envolver um maior período de estabilidade financeira, é preciso estimar o tempo necessário para sobreviver apenas com a reserva. A partir disso, é possível estipular o objetivo final e dividi-lo em pequenas metas para guardar a cada mês.

Gostou de saber mais sobre a reserva financeira? Como você viu, juntar um pouco do seu dinheiro, não importa quanto, é uma maneira de garantir um futuro mais seguro e estável. Por esse motivo, comece quanto antes com o seu fundo e dê um passo de cada vez.

O post inspirou você? Então, experimente se inscrever no nosso canal do YouTube e se conectar à nossa página do LinkedIn. Assim, é possível acompanhar muito mais conteúdos como este!

O que você achou disso?

Clique nas estrelas

Média da classificação 0 / 5. Número de votos: 0

Nenhum voto até agora! Seja o primeiro a avaliar este post.

Lamentamos que este post não tenha sido útil para você!

Vamos melhorar este post!

Diga-nos, como podemos melhorar este post?

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.
0Shares
0 0