Entenda o que é compliance e como atua um profissional dessa área!

o que é compliance
Powered by Rock Convert

Se você ainda não sabe o que é compliance, é muito simples: trata-se dos processos internos definidos por uma organização para estar em conformidade com leis, regulamentações e padrões éticos. Esse termo tem feito tanto sucesso no mundo do trabalho que ser um especialista em compliance se tornou uma das profissões em alta dos últimos tempos.

Afinal, a preocupação com o desmantelamento de esquemas de corrupção, fraudes e golpes está em diversos setores da sociedade. Para os órgãos públicos, é uma necessidade; para as empresas privadas, é um importante diferencial competitivo, já que os consumidores estão cada vez mais de olho nisso.

Os programas de compliance também podem ser exigidos para participação de licitações com o poder público e em contratações junto a empresas multinacionais ou de grande porte.

Neste texto, vamos explicar melhor sobre a ideia de compliance, como é essa atuação, na prática, e como você pode se capacitar para investir nessa área tão promissora. Olha só!

O que é compliance?

Compliance é um termo adaptado do verbo em inglês to comply, que significa cumprimento ou conformidade. Na prática, ele diz respeito a uma série de práticas implementadas em uma organização para que haja o respeito às leis, aos regulamentos internos e aos princípios éticos, garantindo a integridade corporativa.

Os especialistas costumam concordar que o compliance se tornou mais conhecido no Brasil a partir da aprovação da Lei nº 12.846/2013, a chamada Lei Anticorrupção. Além disso, a própria transformação digital contribuiu para o fortalecimento da preocupação com a ética e a segurança no mundo do trabalho.

Afinal, a facilidade no acesso à informação contribui para que a sociedade desenvolva seu pensamento crítico e, consequentemente, o comportamento do consumidor também se torne mais exigente. É por isso que o Poder Público e as empresas de todos os segmentos têm investido nas práticas do compliance. Entre elas, estão:

  • a elaboração de um código de conduta e demais políticas internas;
  • a aplicação de treinamentos para que todos os colaboradores estejam na “mesma página”;
  • a consolidação de uma cultura organizacional centrada em princípios éticos e morais;
  • a transparência na comunicação interna e externa;
  • a criação de canais de denúncia, a fim de que os próprios colaboradores possam relatar ações antiéticas ou contrárias ao código de conduta;
  • a condução de investigações internas;
  • orientações às áreas de negócios para o devido cumprimento de todas as condições legais para o funcionamento do negócio;
  • o investimento em segurança da informação, em conformidade com a Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD);
  • a realização de auditorias internas visando à identificação de fraudes, além de avaliações diversas para identificação de riscos;
  • a correção de não conformidades encontradas na organização, entre outras práticas.

Qual é a importância do compliance para as empresas?

A importância do compliance está na antecipação, prevenção ou resolução de problemas que podem levar a danos físicos ou morais de pessoas, ou a impactos financeiros ou reputacionais da empresa. Além de ter benefícios mais abstratos, do campo ético, há também impactos práticos nessa implementação.

Powered by Rock Convert

Isso porque não estar em compliance é sinônimo de correr riscos. Então, essa preocupação é parte de uma estratégia importante para qualquer empresa, sendo que sua aplicação pode levar à redução de perdas financeiras e de mercado. Sabe a velha história de que “prevenir é melhor que remediar”? É exatamente isso!

Veja alguns dos principais impactos de um programa de compliance:

  • redução de fraudes, corrupção e outras irregularidades;
  • otimização dos processos internos para garantir mais segurança e produtividade no trabalho;
  • fortalecimento de uma imagem positiva junto ao público interno e externo;
  • ganho de credibilidade junto a parceiros e fornecedores;
  • prevenção de escândalos corporativos e, com eles, de perdas de clientes e pagamento de indenizações;
  • gestão mais eficiente de crises, evitando danos maiores.

Como atua um profissional dessa área?

Em geral, as empresas estão investindo na criação de departamentos de compliance ou, ao menos, na consultoria junto a especialistas. A depender do tamanho da organização, o profissional pode ser encarregado de toda a elaboração e aplicação do programa de compliance ou, então, atuar de forma específica em suas ramificações:

  • compliance empresarial;
  • compliance fiscal;
  • compliance socioambiental;
  • compliance trabalhista;
  • compliance tributário etc.

Em geral, a conformidade com regras e princípios éticos se relaciona às áreas do Direito, por isso, essa atuação também pode acontecer de forma integrada à do departamento jurídico.

Já no que se refere ao programa de compliance, é comum que ele tenha pelo menos 5 pilares:

  1. avaliação de riscos — trata-se de um período de observação, no qual o especialista mapeia processos, elenca os maiores problemas a serem combatidos e identifica os riscos à integridade corporativa;
  2. criação de um ambiente ético — em seguida, o time de compliance atua na criação de uma cultura corporativa centrada em princípios éticos, por exemplo, elaborando programas anticorrupção e códigos de conduta, promovendo o comprometimento da liderança e corrigindo problemas imediatos;
  3. implementação de canais de controle — para garantir a consolidação de um ambiente ético, a próxima fase é implementar canais de controle para que inconformidades sejam identificadas e remediadas rapidamente;
  4. estruturação de processos — a transparência é um dos pilares do compliance, por isso, outra fase importante é a revisão de brechas de segurança, a realização de treinamentos junto aos colaboradores, o desenvolvimento de sistemas efetivos de comunicação corporativa e a criação de planos para contenção de crises;
  5. monitoramento — após estruturar e aplicar todo o programa de compliance, os profissionais devem se dedicar ao monitoramento constante das práticas, de forma que as políticas sejam sempre revistas, e os problemas corrigidos.

Como capacitar-se para atuar com compliance?

Para trabalhar com compliance, você precisa realizar uma especialização na área, sendo a pós-graduação, uma ferramenta essencial. Embora seja uma carreira aparentemente direcionada a profissionais do Direito, profissionais de diversas áreas podem atuar em Compliance, como Ciências contábeis, Administração, Economia, Ciências Sociais, Psicologia e Engenharia.

A especialização garante o aprofundamento em conhecimentos relacionados à área, assim como o contato com técnicas e processos úteis para a elaboração de programas de compliance e a promoção de ambientes corporativos sadios. Entre as matérias, estão:

  • Auditoria;
  • Gestão de Crises;
  • Tecnologias da Comunicação e Informação (TICs);
  • Estado de Direito e Atividade Empresarial;
  • Governança Corporativa;
  • Licitações e Contratos Públicos etc.

E aí, conseguiu entender o que é compliance e por que essa área tem ganhado tanta relevância no mundo do trabalho? Como você viu, trata-se de uma série de práticas que ajudam a organização a se manter em conformidade com a lei, a ética e a segurança, uma preocupação extremamente atual e necessária.

Gostou da área? Então, conheça já o nosso curso de Compliance, Governança Corporativa e Auditoria e comece a se capacitar!

O que você achou disso?

Clique nas estrelas

Média da classificação 0 / 5. Número de votos: 0

Nenhum voto até agora! Seja o primeiro a avaliar este post.

Lamentamos que este post não tenha sido útil para você!

Vamos melhorar este post!

Diga-nos, como podemos melhorar este post?

Powered by Rock Convert

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.
0Shares
0 0