Não sabe com o que trabalhar? Confira 8 profissões em alta no mercado

Historicamente, os avanços tecnológicos são um dos motores que impulsionam mudanças no mercado de trabalho. Com novas ferramentas e novos processos, a função dos colaboradores se modifica dentro das empresas — o que também cria cargos. Nesse contexto, é importante conhecer as profissões em alta no mercado.

Transformações na sociedade também impulsionam a criação de novas formas de trabalho. O home office, por exemplo, permite que o profissional trabalhe em casa ou em qualquer lugar, o que não exige tanta formalidade. Além disso, muitas carreiras ainda não têm uma graduação específica, e você pode optar por alguns cursos e fazer uma especialização depois de formado.

Pensando nisso, preparamos este post para você conhecer as profissões em alta e saber como se tornar um profissional da área. Boa leitura!

1. Desenvolvedor mobile

Você já se perguntou como são feitos os aplicativos do seu celular? O desenvolvedor mobile trabalha na área da Tecnologia da Informação (TI) e é responsável por planejar, elaborar, testar e implementar softwares para dispositivos móveis.

De modo geral, o profissional deve dominar conhecimentos como:

  • Lógica de Programação;
  • Linguagens de Programação;
  • Banco de Dados;
  • Ambientes Integrados de Desenvolvimento;
  • Marketplaces;
  • entre outros.

Para atuar nessa área, você pode cursar Análise e Desenvolvimento de Sistemas, Ciência da Computação, Engenharia da Computação ou Sistemas de Informação. O salário médio inicial chega a R$ 3.000.

2. Especialista em segurança digital

A segurança da informação consiste em proteger os dados de diversos tipos de ameaças para garantir a continuidade dos negócios, minimizando os riscos e maximizando o retorno sobre os investimentos. Por ser tratar de informações muito importantes para as empresas, não basta saber instalar um antivírus e colocar senhas nos sistemas.

O profissional especializado em segurança digital deve evitar que dados sigilosos sejam vazados ou roubados por concorrentes. Entre as suas responsabilidades, estão:

  • garantir a disponibilidade dos recursos informacionais;
  • proteger a integridade das informações;
  • assegurar a confidencialidade dos conteúdos.

Se a área despertou o seu interesse, você pode investir nos mesmos cursos do tópico anterior. O salário médio para um especialista em segurança digital no início da carreira é de R$ 6.400.

3. Designer UX e UI

Nesse campo de atuação, temos duas divisões. O profissional especialista em User Experience (Experiência do Usuário) e em User Interface (Interface do Usuário). Pensando no desenvolvimento de um site, por exemplo, quem trabalha com UI tem a tarefa de fazer o desenho e a organização da página. Já o profissional de UX cuida da interação que os usuários terão com o site.

Com o mercado digital em constante crescimento, as marcas querem se destacar em seus nichos. Para isso, o site precisa chamar a atenção e oferecer a melhor experiência para os atuais e futuros clientes.

Para atuar na área, você pode se graduar em cursos como Design Gráfico e Publicidade e Propaganda. O salário médio inicial é de R$ 3.200 para Designer UI e de R$ 2.800 para UX.

4. Agroecologista

O agroecologista é responsável por planejar, executar e monitorar os sistemas de produção agropecuária, sempre em busca de práticas que não degradem o meio ambiente e com foco na sustentabilidade social, econômica e ambiental da cultura ou criação. O profissional também apoia a transição do modelo de agricultura convencional, com uso de defensivos químicos, para os agroecológicos.

Ele trabalha para que a produção de alimentos seja mais orgânica e que a cadeia produtiva considere o sistema de trabalho e as características socioeconômicas e culturais das comunidades locais.

O salário inicial de um agroecologista é de R$ 3.000. Os melhores cursos para o setor são Engenharia Agronômica e Tecnologia em Agronegócios.

5. Consultor financeiro

Esse profissional ajuda pessoas e empresas a organizarem suas finanças e apresenta os resultados dos investimentos para que seja possível entender como está a situação econômica. Ele também ajuda a tomar decisões mais acertadas com o dinheiro, ajudando a atingir objetivos de maneira eficiente.

Para realizar um bom trabalho, o consultor financeiro deve reunir dados pessoais e financeiros dos clientes. Depois, ele cria projeções que mostram quando e como os objetivos serão atingidos. Para isso, é necessário se basear em um conjunto de hipóteses realistas sobre inflação, possibilidade de economizar, retorno dos investimentos, entre outros.

Entre as formações necessárias para atuar na área, estão: Administração, Ciências Contábeis, Ciências Econômicas e Gestão Financeira. O salário médio é de R$ 4.600.

6. Especialista em marketing digital

O especialista em marketing digital identifica as oportunidades e necessidades do mercado digital, analisa o comportamento dos consumidores e estuda influências, tendências e concorrentes por meio de ferramentas de web analytics. Entre as subáreas que você pode atuar, estão:

  • Inbound e Outbound Marketing;
  • SEO;
  • Marketing de Conteúdo;
  • Gestão de Mídias Sociais;
  • E-mail Marketing;
  • Inside Sales;
  • Customer Success.

Além disso, o profissional é responsável por selecionar públicos-alvo ou segmentos, gerenciar métricas e elaborar planejamentos estratégicos para aperfeiçoar os canais digitais das empresas, como redes sociais, sites, blogs e aplicativos.

Se gostou da área, busque por formações como Jornalismo, Marketing, Publicidade e Propaganda e Relações Públicas. O salário médio é de R$ 4.700.

7. Cientista de dados

O cientista de dados é uma das profissões em alta na carreira de TI. O maior motivo para isso é a atual necessidade de o mercado ter um especialista analítico habilitado para desenvolver e analisar informações que circulam na internet.

Esses profissionais têm as habilidades técnicas necessárias para solucionar problemas complexos e a curiosidade para explorá-los. Suas atribuições exigem uma visão sistêmica, na qual conhecimentos de estatística, matemática, processamento e linguagem de software são indispensáveis.

A formação necessária para atuar na área é em Ciência Da Computação, Engenharia da Computação, Sistemas de Informação, Análise e Desenvolvimento de Sistemas ou Gestão da Tecnologia da Informação. O salário inicial pode ser superior a R$ 4.000.

8. Especialista em supply chain

A expressão supply chain significa cadeia de suprimentos em português, o que se refere à negociação entre empresas para aprimorar serviços e produtos, bem como a entrega para o cliente final. O especialista nessa área faz o gerenciamento de todos os fluxos e processos de informações envolvidas.

Com uma visão ampla sobre a forma como as etapas se relacionam, ele planeja e controla rigorosamente todas as conexões, desde o fornecedor de matéria-prima até a entrega do produto ao consumidor.

Com média salarial de R$ 9.800, os graduados em Administração, Automação Industrial, Engenharia de Produção e Logística podem atuar na área.

Além de conhecer as profissões em alta no mercado, é importante escolher uma universidade com qualidade acadêmica para ter sucesso profissional. Boas instituições fazem a diferença no currículo e são resultados de investimentos em infraestrutura, conteúdos modernos e professores atualizados. Tudo isso tem o objetivo de garantir a melhor formação para os alunos.

Gostou da leitura? Então, não deixe de conferir como a faculdade afeta as suas escolhas profissionais!

Você pode gostar também de...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *