Iniciação científica vale a pena? Venha descobrir!

A iniciação científica é um programa acadêmico no qual os estudantes desenvolvem pesquisas sobre temas relevantes para sua área de estudo. Este é um dos vários tipos de atividades que você pode realizar durante a graduação e que agregam muito não só ao aprendizado, mas também à própria carreira.

Mesmo assim, é comum que os estudantes se perguntem se realmente vale a pena se dedicar a esse programa, ainda mais em meio a tantas outras responsabilidades com o curso. Além disso, o ideal é entender bem como a iniciação científica funciona para ter certeza de que você se interessa por essa atividade.

Pensando nisso, preparamos este post para esclarecer essas dúvidas. Boa leitura!

Como funciona a iniciação científica?

O objetivo da iniciação científica é, como o nome já indica, iniciar os estudantes no mundo das pesquisas científicas, algo que faz parte da rotina de quem segue a carreira acadêmica. É uma forma de aproximar ainda mais os graduandos desse ambiente, despertando seu interesse pela construção do conhecimento ativamente.

Na prática, os programas de iniciação científica têm 12 meses de duração. Ao longo desse período, os alunos participam de projetos de pesquisa orientados por professores pesquisadores. Nesse processo, é necessário utilizar métodos científicos para realizar os estudos, além de produzir relatórios e artigos científicos para apresentar seu desenvolvimento e os resultados.

Alguns projetos de pesquisa podem ser financiados, o que significa que os estudantes recebem uma bolsa de iniciação científica. Nesse caso, as bolsas podem ser oferecidas pela própria instituição de ensino ou por órgãos que incentivam a formação de pesquisadores no Brasil, como é o caso do CNPq (Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico).

Quais são os benefícios de fazer iniciação científica?

Fazer iniciação científica impacta a formação acadêmica e o futuro profissional de várias maneiras. A seguir, destacamos as principais. Confira!

Mais aprendizado e habilidades

A iniciação científica é uma forma de conhecer mais a fundo algum tema ligado ao seu curso e que desperta seu interesse. Assim, você vai construir conhecimentos que são importantes para a sua formação acadêmica e relevantes para sua área, já que essa é uma das exigências para que o projeto de pesquisa seja aprovado.

Além dos conhecimentos científicos, essa experiência faz com que você adquira mais autonomia nos estudos, trabalhe em equipe, melhore a gestão do tempo e a organização, entre outras habilidades. Tudo isso ajuda você a ter um bom desempenho acadêmico e a se preparar para o mercado de trabalho.

Aproximação com o universo científico

As atividades da iniciação científica precisam, obrigatoriamente, seguir normas bem rígidas. Isso faz com que os estudantes se familiarizem com o método científico e possam levar esse conhecimento para a realização dos outros trabalhos no decorrer da graduação.

Quando chegar a hora de fazer o trabalho de conclusão de curso (TCC), por exemplo, você já vai ter muito mais segurança ao desenvolver seus estudos e pesquisas. Para completar, você também pode desenvolver seu TCC sobre algum tema relacionado ao que já foi trabalhado na iniciação científica, o que vai facilitar bastante o processo.

Mais horas complementares

Nos cursos de graduação, há a necessidade de cumprir certa quantidade de carga horária com atividades complementares. Alguns exemplos são a participação em eventos acadêmicos, como seminários, palestras e congressos, eventos culturais e pesquisas científicas.

Por isso, a iniciação científica é um modo de conseguir horas complementares para seu curso. Você ainda pode, e deve, fazer outras atividades, até porque todas elas são importantes na formação. Porém, fica mais fácil acumular uma boa quantidade de horas para cumprir os requisitos do seu curso.

Preparação para a carreira acadêmica

Estudantes que querem seguir carreira acadêmica, fazendo mestrado e doutorado, têm muito a se beneficiar com a iniciação científica. O programa possibilita conhecer melhor o mundo das pesquisas científicas, sendo uma importante preparação para o próximo passo depois da graduação.

Ter passado por uma iniciação científica também conta pontos na hora de passar pelo processo seletivo do mestrado. Isso ajuda a ingressar na pós-graduação stricto sensu e dá um preparo maior para lidar com as atividades que são realizadas durante o curso.

Como a pesquisa científica dá origem a artigos científicos que podem ser publicados, ela ainda contribui para o enriquecimento do currículo lattes. Esse é mais um fator que influencia as chances de ingressar em um programa de mestrado e seguir a vida acadêmica.

Oportunidade de networking

Ao fazer iniciação científica, você passa a ter um convívio com colegas e professores que vai além da rotina de sala de aula. Essa maior proximidade permite aprender mais, enquanto cria conexões e parcerias que podem continuar mesmo depois que a pesquisa for concluída.

Com isso, você amplia sua rede de contatos na área, o que é essencial para seu futuro na profissão. Um bom networking pode render desde uma carta de recomendação até uma oportunidade de emprego, entre muitas outras possibilidades importantes ao longo da carreira.

Como começar a fazer iniciação científica?

O primeiro passo para fazer iniciação científica é saber se sua instituição de ensino tem um núcleo de pesquisa voltado para temas do seu interesse. Depois, será preciso procurar um professor pesquisador que possa orientar o desenvolvimento de um projeto de iniciação científica, tendo o cuidado de escolher alguém que já trabalhe com uma linha de pesquisa alinhada à que você quer.

Além de apresentar um projeto bem elaborado e sobre um tema relevante, também é importante ter um bom histórico acadêmico. Para conseguir uma bolsa de iniciação científica, é preciso prestar atenção aos editais de inscrição nos programas e atender todos os requisitos, que podem variar de acordo com cada instituição.

Depois de todas essas informações, fica bem claro que vale muito a pena fazer iniciação científica, tanto para quem pretende seguir uma carreira acadêmica quanto para quem pensa em seguir outro caminho profissional. Essa é uma experiência enriquecedora para qualquer estudante que quer conhecer de perto todas as etapas de uma pesquisa científica e expandir os seus conhecimentos.

Ainda ficou com alguma dúvida sobre a iniciação científica? Deixe um comentário aqui no post que vamos esclarecer!

O que você achou disso?

Clique nas estrelas

Média da classificação 5 / 5. Número de votos: 1

Nenhum voto até agora! Seja o primeiro a avaliar este post.

Lamentamos que este post não tenha sido útil para você!

Vamos melhorar este post!

Diga-nos, como podemos melhorar este post?

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.

0Shares
0 0