Empregabilidade: afinal, o que o mercado está exigindo?

Muitos profissionais têm dificuldades para entender o que o mercado de trabalho está exigindo atualmente. Afinal, como melhorar a sua empregabilidade? Existem cursos e competências que podem impulsionar sua carreira?

Levando isso em conta, preparamos este artigo. Durante a leitura, você entenderá no que consiste esse conceito. Além disso, falaremos sobre o cenário atual e o que pode ser feito para alcançar seus objetivos. Acompanhe o texto até o fim para saber mais a respeito!

O que é empregabilidade?

Em poucas palavras, a empregabilidade é um índice, que pode ser objetivo ou subjetivo. Ela é capaz de refletir as probabilidades que um profissional tem de se manter empregado e/ou conseguir uma recolocação.

Ou seja, alguém que se preparou mais — se graduou em uma boa universidade, buscou uma pós e aprendeu idiomas estrangeiros — tem, em tese, chances maiores de conquistar uma vaga em comparação com uma pessoa que não passou por nenhuma dessas etapas.

Para deixar essa taxa em alta em sua vida profissional, é fundamental nunca parar. Portanto, esteja sempre procurando formas de se capacitar e aprimorar suas habilidades profissionais.

O que o mercado de trabalho atual está exigindo?

Além de um alto grau de especialização, o mercado de trabalho está em busca de pessoas apaixonadas por aquilo que fazem, mas que também saibam se adaptar às oportunidades e aos desafios que podem aparecer no meio do caminho.

Há uma série de competências emocionais e interpessoais que estão em alta. Sendo assim, mais do que saber muito sobre Direito ou Engenharia, você precisa ter proatividade, foco no cliente, resiliência e facilidade para se comunicar.

Como a empregabilidade é estimada?

Como mencionado, a empregabilidade pode ser calculada objetivamente, com números e dados concretos, ou estimada a partir de conceitos subjetivos. Na maioria das vezes, o índice é obtido por meio do levantamento de quesitos presentes nos perfis dos profissionais. São eles:

  • estabilidade nos cargos;
  • idiomas;
  • nível de experiência (total e específico na função);
  • promoções e prêmios;
  • remuneração;
  • grau de especialização (cursos, graduações, pós etc.)
  • entre outros.

Como melhorar a sua empregabilidade?

Um jeito efetivo de atender às exigências do mercado é investir em seu desenvolvimento. A boa notícia é que isso pode ser feito de inúmeras maneiras.

De qualquer forma, é imprescindível que você tenha conhecimento pleno sobre a sua área de atuação. Uma graduação ou uma pós são determinantes nesse sentido. Se quiser avançar ainda mais na especialização, é possível buscar cursos livres e workshops. Assim, você terá noções sempre atualizadas.

Outro ponto digno de atenção é a capacidade de trabalhar em equipe e colaborativamente. Assim, crescem as chances de você receber boas indicações e ter seu trabalho recomendado em diferentes organizações. O controle emocional e a liderança também podem ajudar bastante — tente aperfeiçoá-los em suas experiências.

Enfim, o índice de empregabilidade não é uma ideia exata. Apesar disso, ele pode ser bastante útil para que você faça uma autoavaliação e conquiste o sucesso na carreira.

Se esse conteúdo foi útil, aproveite para entender o que são crenças limitantes e veja como são prejudiciais!

Você pode gostar também de...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *