Coronavírus: como utilizar o tempo em casa para otimizar os estudos?

coronavirus-estudar-em-casa

Se você tem acompanhado os noticiários, sabe que o novo coronavírus já chegou no Brasil e está se espalhando rapidamente. Com isso, muitas faculdades suspenderam temporariamente as atividades acadêmicas presenciais, dando continuidade nos cursos a distância.

O isolamento social é um meio efetivo de conter a transmissão acelerada do vírus e, com isso, possibilitar que as autoridades administrem melhor os casos de infectados. Apesar das tristes notícias diariamente, o ponto positivo dessa situação emergencial é que você pode aproveitar o momento para colocar seus estudos em dia.

Mas como aproveitar bem o tempo em casa? E por que o coronavírus está causando tanta apreensão? Continue a leitura e veja nossa explicação sobre o COVID-19, além de algumas dicas para otimizar seus estudos durante o isolamento social!

Afinal, o que é o coronavírus?

O novo coronavírus, chamado oficialmente de COVID-19, é um tipo de vírus com alto potencial de transmissão que surgiu na China em dezembro de 2019. Ele vem se alastrando no mundo todo e, em 11 de março de 2020, a Organização Mundial da Saúde (OMS) declarou a situação como uma pandemia.

Isso significa que, segundo a avaliação da OMS, estamos diante de uma doença infecciosa que ameaça o mundo todo e, por isso, deve ser combatida por todos os países. Atualmente, já há casos de COVID-19 em todos os continentes.

O novo coronavírus causa os seguintes sintomas:

  • febre (por aproximadamente 12 dias);
  • falta de ar;
  • tosse seca ou secretiva;
  • coriza.

Em casos graves:

  • pneumonia;
  • insuficiência renal;
  • síndrome respiratória aguda grave (SARS).

Também podem aparecer sintomas como dores no corpo, dor de garganta, diarreia e vômitos. Em caso de suspeita, você deve obedecer as medidas de precaução domiciliar. É importante só procurar o atendimento médico se tiver sintomas graves, para evitar a superlotação de hospitais.

Por que o coronavírus é preocupante?

O COVID-19 pode causar apenas uma infecção pulmonar leve em crianças e jovens, parecida com um resfriado. No entanto, pode levar a problemas respiratórios graves em pessoas que fazem parte do grupo de risco. São mais vulneráveis os pacientes com:

  • idade avançada;
  • doenças subjacentes, como hipertensão e diabetes;
  • doenças autoimunes;
  • doenças respiratórias crônicas;
  • insuficiência renal crônica.

Esses fatores aumentam os riscos da doença, que evolui para uma pneumonia que não responde bem a antibióticos. Por isso, esses pacientes graves precisam de internação e, muitas vezes, de UTI — e é aí que está o maior problema.

Como o novo coronavírus se espalha muito rapidamente, pode haver muitos pacientes graves em um mesmo momento. Com isso, os hospitais não dão conta de atender a todos que necessitam, o que eleva as chances de letalidade nos grupos de risco.

Como o coronavírus é transmitido?

O novo coronavírus é transmitido de pessoa para pessoa, isto é, por meio do contato com gotículas de saliva e outras secreções infectadas. Então, alguns dos meios comuns de contágio são:

  • tosse;
  • espirros;
  • beijos;
  • abraços;
  • apertos de mão;
  • contato com objetos contaminados.

O vírus passa por um período de incubação de cerca de 5 dias e, depois desse período, o paciente contaminado começa a sentir os primeiros sintomas. Você pode conferir outras recomendações oficiais do Ministério da Saúde no site exclusivo sobre informações do COVID-19.

Quais são os cuidados essenciais?

Ainda não há uma vacina para o COVID-19. Portanto, as intervenções não farmacêuticas são a melhor estratégia para lidar com o novo coronavírus. Como o contágio se dá pelo contato com pessoas infectadas, as seguintes medidas preventivas são efetivas:

  • lavar as mãos frequentemente (especialmente ao entrar e sair de lugares);
  • limpar com álcool os objetos tocados frequentemente, como celulares;
  • evitar o toque nas mucosas da boca, do nariz e dos olhos;
  • evitar cumprimentos com aperto de mão ou beijo no rosto;
  • evitar aglomerações de pessoas.

Quando não for possível lavar as mãos com água e sabão, o álcool 70 também ajuda a eliminar vírus que possam ter ficado na mão. Outra dica é sempre cobrir a boca com a parte interna do cotovelo ao tossir e espirrar, evitando espalhar gotículas que podem estar infectadas, mesmo que você não tenha sintomas.

desconto-universidade-cruzeiro-do-sulPowered by Rock Convert

Além disso, as autoridades da saúde têm recomendado fortemente o isolamento social. Isto é, só sair de casa se for extremamente necessário. É por esse motivo que universidades, assim como escolas do ciclo básico e até mesmo empresas estão suspendendo suas atividades presenciais.

Como utilizar o tempo em casa para estudar?

Diante da atual situação, os ânimos ficam exaltados. É totalmente compreensível! No entanto, vale muito a pena utilizar esse período de isolamento social para otimizar seus estudos. Assim, você não terá tantos prejuízos depois e, ainda por cima, ocupa um pouco a cabeça para não ficar tão apreensivo em relação ao novo coronavírus.

Para tanto, você pode encarar esse momento de organização de forma parecida com quando vai passar o final de semana estudando: com cronogramas, metas e muita disciplina. Veja só nossas dicas!

Crie uma rotina de estudos

O primeiro passo é não encarar esse período como férias. Então, estabeleça uma rotina em casa o mais parecida possível com a sua rotina regular para fazer a gestão do tempo. Tenha horários para acordar, dormir e se alimentar, e crie um cronograma de estudos, que pode ser parecido com a sua grade horária da faculdade.

Organize um local de estudos

Estudar em casa pode ser mais confortável, mas exige muito foco para se concentrar nos estudos. Afinal, o ambiente está cheio de armadilhas que podem tirar sua vontade de estudar, como a televisão, o sofá e a cama. Então, a dica é organizar um local exclusivamente para os estudos, mais tranquilo e longe de distrações.

Escolha os melhores métodos de estudo

A falta de aulas presenciais com professores pode interferir no seu rendimento, especialmente se você é um aluno participativo e que gosta das discussões em sala de aula. Por isso, pense em métodos de estudo que ajudem a melhorar seu desempenho estudando por conta própria.

Por exemplo, fazer mapas mentais e intercalar matérias pode ajudar. Fique de olho também na proposta de enfrentamento da suspensão da sua faculdade: alguns professores podem realizar aulas por videoconferência, publicar podcasts, abrir fóruns online, entre outros recursos.

Use a tecnologia a seu favor

Em tempos de coronavírus, a tecnologia é uma grande aliada para manter a normalidade em muitos aspectos da vida. Nos estudos, WhatsApp, e-books e plataformas de vídeos podem ajudar com as atividades da faculdade, desde a comunicação com os colegas e professores até o contato com conteúdos.

Aproveite para colocar a leitura em dia

Mesmo que seus professores não estejam passando atividades para fazer em casa, utilize esse tempo extra para colocar as leituras em dia. Sabe aquela lista de textos e livros complementares dos programas das disciplinas? Esses conteúdos agregam muito à sua formação, mas a gente nunca tem tempo para ler tudo durante o curso, não é? Esse é o momento!

Fuja das distrações

O mais difícil de estudar em casa é conseguir dizer “não” às distrações — dormir até tarde, ver os episódios novos da sua série favorita e até mesmo conferir demasiadamente as notícias sobre o coronavírus são alguns exemplos de distrações que podem desviar sua atenção dos estudos. É por esse motivo que a rotina é tão importante.

Com horários bem-definidos, você pode estabelecer os momentos certos para relaxar, manter-se informado e estudar. Assim, dá para evitar interrupções desnecessárias nos momentos de leitura e quando estiver fazendo atividades.

Estabeleça metas

Por fim, um dos meios mais efetivos de manter a motivação para estudar é estabelecer metas para si mesmo — inclusive, em relação a matérias futuras. Por exemplo, você pode definir:

  • quantas páginas dos livros teóricos você vai ler por dia;
  • quantas videoaulas vai assistir por semana;
  • qual é o prazo para entregar as atividades;
  • quais conteúdos você vai adiantar toda semana etc.

Enfim, o momento é de grande apreensão e atenção do mundo todo em relação ao novo coronavírus. No entanto, nossas vidas não podem parar completamente e, por isso, vale a pena utilizar o período de isolamento social para otimizar bastante a sua formação.

Para ajudar você na sua rotina, os aplicativos para estudar também são grandes aliados. Leia nosso post e confira algumas sugestões!

O que você achou disso?

Clique nas estrelas

Média da classificação 0 / 5. Número de votos: 0

Nenhum voto até agora! Seja o primeiro a avaliar este post.

Lamentamos que este post não tenha sido útil para você!

Vamos melhorar este post!

Diga-nos, como podemos melhorar este post?

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.
0Shares
0 0