Você sabe o que é autossabotagem? Confira!

autossabotagem

Muitas atividades e ocorrências compõem o cotidiano de uma pessoa. Por isso, é importante exercitar o controle emocional para dar conta das questões que envolvem a própria educação, a carreira e a vida social. Na busca por esse equilíbrio, a autossabotagem pode se tornar uma grande inimiga.

Já ouviu falar dela? Trata-se de um mecanismo consciente ou inconsciente que gera pensamentos e atitudes danosas. Por ser um hábito comum do ser humano, ninguém está livre de enfrentá-lo em diferentes momentos, desde a infância até a velhice.

A vantagem é que, como outras práticas negativas, os comportamentos sabotadores podem ser amenizados com mudanças de hábitos. Continue a leitura para saber mais sobre o assunto!

O que é autossabotagem?

É uma conduta pouco saudável que o indivíduo direciona a si mesmo. Ela consiste em criar obstáculos para não cumprir determinado processo, como fazer uma atividade física, entregar um trabalho da faculdade no prazo, começar um novo hobby, entre outras ações.

Sabotar os compromissos profissionais, os métodos de estudo e até programas de lazer pode ser prejudicial porque impede que a pessoa finalize as tarefas que considera importantes. Como resultado, ela vai se sentindo incapaz de produzir coisas boas e de avançar rumo aos seus objetivos.

A autossabotagem também acaba interferindo no modo como o indivíduo é visto pelos demais. Isso porque passa a reagir de modo inadequado a cada interação. Seus amigos, familiares e colegas podem, por exemplo, ter a impressão de que ele não respeita seus horários, vontades e opiniões.

Como identificar esse comportamento?

Muitos atos podem ser considerados sabotadores, principalmente quando impedem alguém de seguir com o planejamento de uma atividade. Nessa hora, para fugir de uma responsabilidade ou evitar uma situação ruim, a pessoa começa a criar mecanismos de ataque e pensamentos agressivos.

Sensação de culpa, julgamento e imagem pessimista das coisas aparecem com frequência na rotina de quem se autossabota. Isso gera um bloqueio físico ou mental que impede a continuidade de inúmeros afazeres, causando angústia e insatisfação. Veja outros sintomas recorrentes:

  • procrastinação — adiar ou atrasar tarefas é um dos sinais mais fortes e resulta do receio de fracassar;
  • dificuldade para relaxar — vem da sensação constante de que algo precisa ser feito ou de que suas ideias não são boas o suficiente;
  • excesso de autocrítica — pensamentos destrutivos fazem com que a pessoa não se sinta merecedora das próprias conquistas. Esse ataque pode deixá-la doente e trazer problemas como depressão, ansiedade e até síndrome de burnout;
  • falta de tempo e organização — negar convites e deixar muitas tarefas de lado são atos que trazem uma falsa sensação de controle, já evitam que a pessoa entre em contato com cenários que causam frustração, vergonha e até raiva.

Quais são os tipos de autossabotagem?

É possível apresentar esse comportamento de várias maneiras. Algumas pessoas se tornam extremamente prestativas para se envolver com os problemas de terceiros e deixar as próprias obrigações de lado. Outras pensam demais no que precisam resolver e não conseguem colocar a mão na massa.

Independentemente do tipo, uma prática sabotadora sempre trará prejuízo em algum aspecto da vida. Veja as formas mais comuns.

Culpabilidade

Aparece naqueles grupos que acreditam serem 100% responsáveis por tudo o que acontece ao seu redor. Isso inclui cenários negativos que geram muito descontentamento. Com o tempo, a culpa acumulada pode levar a uma percepção irreal de si — a pessoa começa a crer que é ruim, fraca ou inadequada.

Vitimização

Nesse tipo de autossabotagem, o indivíduo cria uma espécie de aprisionamento involuntário, já que passa a exercer o papel de vítima em inúmeras situações. O objetivo é conseguir um olhar constante de pena ou cuidado por parte de terceiros, de modo que não precise provar nada ou conquistar algo relevante.

Apatia

Deixa a pessoa em estado de inércia por conta da perda de motivação para trabalhar, estudar e se divertir. Trata-se de uma estratégia de defesa para não correr o risco de errar, perder oportunidades ou receber críticas. Nesses casos, levar uma vida monótona e com poucas mudanças representa o cenário perfeito.

Há formas de prevenir a autossabotagem?

Todo mundo já lidou com pensamentos sabotadores, por isso, não se preocupe se você se deparar com alguns ao longo da vida. O importante é não deixar que essas práticas nocivas sejam corriqueiras e alterem o seu modo de ver ou aproveitar as coisas.

Confira ações que ajudam a reduzir os episódios.

Melhorar a autoestima

O primeiro passo é aprender a valorizar suas qualidades. Para isso, evite comparações com os outros, aceite suas falhas e busque aprender com cada erro. Também exercite o hábito de agradecer pelas suas conquistas, por menores que sejam. Isso vai deixar você mais confiante e sempre com vontade de melhorar.

Sair da zona de conforto

Não é fácil encarar mudanças para cair em um ambiente desconhecido, mas essa atitude pode fazer muito bem em certas ocasiões — como a transição de carreira, estudo de uma área específica do conhecimento ou treino de uma nova modalidade esportiva. Faça o esforço de ir além quando desejar outro tipo de resultado.

Ocupar corpo e mente

A autossabotagem ganha espaço no excesso de ociosidade, por isso, invista em atividades que possam estimular a sua mente e o seu corpo de maneira saudável. Meditação, ioga e exercícios físicos são ótimos recursos para fortalecer seu emocional. O ideal é transformá-los em hábitos diários.

Como lidar com a situação?

Quem já está em um estado mais complicado, em que os comportamentos negativos predominam, deve buscar apoio especializado. Os psicólogos são os profissionais mais recomendados para diagnosticar o problema e adequar a abordagem terapêutica ao perfil do indivíduo.

Em todo caso, é crucial que o paciente faça sua parte e saiba reconhecer os gatilhos que levam a condutas tóxicas. A prática do autoconhecimento favorece essa análise e deve ser experimentada por toda pessoa que deseja ter mais energia, melhorar a produtividade e viver plenamente.

Gostou de aprender sobre os principais tipos, sintomas e características da autossabotagem? Esperamos que o conteúdo tenha sanado as dúvidas mais comuns e possa gerar discussões proveitosas em seu círculo social. Lembre-se de que conscientizar pessoas sobre práticas nocivas é sempre benéfico.

Agora, que tal compartilhar suas percepções sobre o tema? Fique à vontade para comentar ou fazer perguntas!

O que você achou disso?

Clique nas estrelas

Média da classificação 5 / 5. Número de votos: 1

Nenhum voto até agora! Seja o primeiro a avaliar este post.

Lamentamos que este post não tenha sido útil para você!

Vamos melhorar este post!

Diga-nos, como podemos melhorar este post?

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.
0Shares
0 0