Você sabe qual é a diferença entre lato sensu e stricto sensu?

voce-sabe-qual-e-a-diferenca-entre-lato-sensu-e-strictu-sensu.jpeg

Ao terminarem a graduação — ou mesmo depois de algum tempo — muitos estudantes manifestam a vontade de prosseguir com os estudos. No Brasil, existem duas modalidades de pós-graduação regulamentadas.

Tão importante quanto à escolha da instituição de ensino, porém, é entender a diferença entre Lato e Stricto Sensu. Para tomar essa decisão, o profissional deve considerar quais são as suas motivações para se matricular em um curso.

Pós-Graduação Lato Sensu

A pós-graduação Lato Sensu contempla os cursos de especialização, incluindo os chamados MBA (Master Business Administration) — com programas focados na área de administração — e as residências, praticadas por médicos e veterinários.

Essa modalidade é ideal para quem precisa atualizar seus conhecimentos por conta de uma exigência profissional, como parte de uma estratégia em busca de melhores oportunidades em um mercado tão concorrido.

Estão aptos a se matricular em uma pós Lato Sensu todos os candidatos que possuem um diploma de graduação, desde que sejam obedecidos os critérios estabelecidos pela instituição de ensino.

Com duração mínima de 360 horas, os cursos podem ser ministrados presencialmente ou à distância. Como exame final, o aluno deve apresentar uma monografia ou um Trabalho de Conclusão de Curso (TCC). Mediante a integralização dos créditos, o concluinte recebe um certificado.

Pós-Graduação Stricto Sensu

Já a pós-graduação Stricto Sensu é voltada para os profissionais que desejam seguir carreira na área acadêmica, lecionando em instituições de ensino superior ou se dedicando à prática de pesquisa.

Integram essa modalidade os programas de Mestrado, Doutorado e Pós-Doutorado. Em comum, no ato da conclusão dos cursos, o aluno recebe um diploma e passa a ser designado por um título acadêmico — Mestre e Doutor, respectivamente.

Para quem deseja atuar em faculdades e universidades o mestrado é, via de regra, o primeiro passo após a graduação. Costuma-se exigir a fluência em uma segunda língua, e, para obter a aprovação, o aluno deve apresentar uma dissertação, que recapitule as bases do estudo desenvolvido e reitere a relevância dos resultados.

No Doutorado, por sua vez, a pesquisa deve ser ainda mais aprofundada e prezar pelo ineditismo, o que justifica a maior duração deste curso. Concluído esse levantamento, o postulante defende uma tese, apresentando determinado tema sob uma perspectiva ainda não abordada.

Por que é tão importante diferenciar Lato e Stricto Sensu?

Conhecer as diretrizes que regem, bem como as características específicas, dos cursos de Lato e Stricto Sensu é essencial para que o profissional escolha a modalidade mais adequada ao seu perfil e aos seus objetivos profissionais.

Independente de qual seja a sua decisão, o fato é que, há muito tempo, a graduação deixou de ser o “ponto final” da trajetória acadêmica. Em um mercado caracterizado pela extrema concorrência, as organizações exigem trabalhadores cada vez mais qualificados.

Nesse contexto, ter uma pós-graduação no currículo é uma prova de que o profissional preocupa-se em manter seus conhecimentos atualizados, o que pode lhe render melhores oportunidades e uma posição de destaque em meio a tantos outros candidatos, que podem, inclusive, estar de olho na vaga que você ocupa.

E você, também considera importante cursar uma Pós-Graduação? Qual a modalidade que você escolheu ou pretende ingressar: Lato ou Stricto Sensu? Conte para nós nos comentários.

Você pode gostar também de...

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *