Afinal, o que é avaliado em um teste vocacional?

afinal-o-que-e-avaliado-em-um-teste-vocacional.jpeg

A escolha da profissão pode gerar muita dúvida e estresse na vida de um jovem em início de carreira, principalmente os vestibulandos. Nessa hora, os testes vocacionais costumam ajudar nessa difícil decisão.

Optar por uma carreira a partir da universidade implica em diversas etapas desgastantes e, além disso, há a pressão familiar e social. As dúvidas são em torno da combinação entre vocação, melhores salários e profissões mais relevantes no mercado.

Os serviços de orientação vocacional chegam então como apoio para que o jovem consiga descobrir seu caminho e encontrar a profissão ideal por si mesmo, de forma realista e alinhada aos seus objetivos. Confira como funciona todo esse processo!

A quem é dirigido o teste vocacional?

É comum associarmos a aplicação do teste vocacional aos jovens vestibulandos, afinal, desde que ingressam no ensino médio, os estudantes se sentem pressionados a fazer uma escolha para a vida toda.

Apesar disso, muitos optam por uma carreira já no ensino médio regular ou técnico, deixando a universidade para outra etapa. Outros abrem mão dessa opção totalmente.

Além disso, é cada vez mais frequente que profissionais que já estão no mercado há tempos procurem por testes vocacionais. O serviço de orientação auxilia quem decide trocar de profissão por insatisfação ou por aposentadoria a escolher uma nova jornada.

Como funciona o teste e quem pode aplicá-lo?

A origem do teste vocacional vem de um ramo da Psicologia conhecido como Avaliação Psicológica. A partir dele, é feito um apanhado das aptidões reveladas pela pessoa e, então, sugerido o caminho profissional mais adequado.

Parece simples, e muitos desses testes apresentam uma ideia ilusória, levando o candidato a acreditar em soluções mágicas. Muito cuidado com isso! É importante estar consciente da complexidade desses processos, pois eles não funcionam isoladamente.

Saber detalhes sobre as profissões, suas condições no mercado e os salários que oferecem também não são suficientes. Antes de escolher a melhor carreira, o primeiro passo é se conhecer e saber identificar as atividades que mais lhe chamam a atenção.

Assim, para garantir a seriedade e segurança dos testes, é fundamental eleger um profissional habilitado para a missão. Procure referências sobre o psicólogo que aplicará o teste, evitando cair em ciladas que podem atrasar sua escolha em vez de ajudar.

Existe também um método interessante de teste vocacional foi proposto por John Lewis Holland, psicólogo norte-americano nascido em 1919 e falecido em 2008. O professor Holland formulou a teoria de que as preferências ocupacionais são a expressão da personalidade de cada um.

Assim, Holland elaborou a tipologia RIASEC, que categoriza as pessoas em 6 tipos principais: realista, investigativo, artístico, social, empreendedor e convencional. A tipologia permite uma subdivisão desses perfis em até 720 padrões diferentes, possibilitando diversas combinações entre eles.

A tipologia de Holland também é empregada nos ambientes de trabalho. Afinal, ao combinar os tipos de personalidade às características do ambiente, é possível chegar mais perto da profissão ideal para cada indivíduo.

Qual é o objetivo da aplicação dos testes?

Em todo início de carreira, seja na universidade ou diretamente em uma atividade profissional, existe um estágio de experimentação.

Durante esse período, o jovem ainda está desenvolvendo suas habilidades, e não é raro descobrir outra aptidão que o faça mudar de ideia. Mesmo aqueles que já exercem uma profissão por um longo período podem se redescobrir em outra área e começar do zero.

A orientação vocacional cumpre um importante papel nas mudanças de profissão. A ajuda de um profissional habilitado para tomar essa decisão contribui com melhor discernimento para uma escolha consciente.

Entretanto, é essencial estar atento a sua condição individual, seus talentos e o alinhamento com a realidade do mercado, evitando expectativas irreais. Tenha em mente que não existe certo ou errado na escolha profissional de cada um.

Os testes são norteadores, mas a escolha é pessoal e não deve ficar na mão de outras pessoas. Saber ponderar entre o resultado dos testes e a sua intuição é o caminho mais seguro. Não há nada definitivo na vida de ninguém. A todo momento, podemos desejar algo novo e inesperado.

Agora que você já entendeu melhor o teste vocacional, acompanhe nosso blog!

Você pode gostar também de...

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *